pecs

Solicitações são formas de comunicação muito motivadoras, uma vez que têm como consequência a obtenção de algo “que se deseja”, sendo assim um reforçamento imediato e específico.

A solicitação beneficia o falante. A criança fala e consegue as coisas, aprendendo que sua fala modifica o ambiente e traz consequências agradáveis. Diante disso, a comunicação através da solicitação é uma etapa muito importante para a aprendizagem da linguagem.

E se a criança ainda não consegue solicitar através do comportamento verbal seus desejos, o que fazer? Pedro se encontra nessa situação, é uma criança de 05 anos com TEA que já aprendeu a apontar, a fazer contato ocular e ter atenção compartilhada com os pais para expressar o que deseja, entretanto ainda não se expressa através da vocalização.

Uma forma de estimular a solicitação de Pedro é utilizando um Sistema de Comunicação Aumentativa. Um dos mais utilizados é o PECS (The Picture Exchange Communication System – Sistema de Comunicação por Troca de Figuras), no qual a criança entrega para outra pessoa a figura referente ao seu pedido. Por exemplo, se Pedro quer o objeto bola para brincar, ele irá pegar em sua pasta de figuras a imagem correspondente a bola e a entregará para o interlocutor, o qual fará a troca e entregará a criança a bola.

O PECS é um sistema amplamente utilizado por não requerer materiais complexos, não utilizar equipamentos caros, nem técnicas altamente especializadas para o treinamento, podendo, assim, ser usado nos variados ambientes: casa, escola e comunidade. Este instrumento é formado por figuras, representadas por imagens/fotos representativas de ações, sentimentos, objetos ou pessoas com a palavra escrita abaixo.

O PECS em seu formato original é composto por 7 fases, descritas, de forma simplificada, a seguir:

– Fase 1: A criança aprende a entregar uma única figura a outra pessoa, como troca pela atividade ou objeto que deseja;

– Fase 2: A figura se encontra em um álbum de comunicação (onde há, por enquanto, apenas esta figura), no qual a criança aprende a retirar e entregar a outra pessoa, levando consigo esse álbum para os diferentes ambientes e aprendendo a usá-lo com diferentes pessoas.

– Fase 3: Neste momento o objetivo é que a criança aprenda a discriminar as figuras. Em seu álbum haverá variadas figuras e ela precisará escolher qual deseja.

– Fase 4: Nesta etapa inicia-se a estruturação de sentenças, na qual a criança aprende a construir frases simples com o “Eu quero” seguida pela figura referente ao item que deseja, colocando-as em uma tira porta-frase

– Fase 5: a criança aprende a responder à pergunta “O que você quer?”

– Fase 6: Nesta fase trabalha-se a generalização, na qual a criança deverá responder à pergunta “O que você quer?”, “O que você tem?”, e outras sentenças similares.

– Fase 7: São adicionados outros conceitos e a construção de frases mais complexas, como por exemplo “Eu quero o pote vermelho”, “Eu sinto dor na barriga”, “Eu vejo um gato grande”.

E agora vocês leitores podem estar se perguntando: mas a criança irá ficar presa à comunicação por figuras e não aprenderá a se comunicar através da fala? Em nossa experiência, percebemos que frequentemente as crianças começam a falar enquanto manuseiam as imagens, repetem as descrições das figuras, ou as falas dos interlocutores. Isto porque o PECS é uma forma aumentativa de comunicação que trabalha a “intenção comunicativa”, estimulando assim o desenvolvimento da fala nas crianças.

Ficaram interessados em conhecer mais e utilizar o PECS com seus filhos ou alunos? Procure um profissional especializado na área, o qual poderá lhe passar todas as orientações específicas ao caso da criança, afinal, apesar de ser um instrumento padrão, para cada indivíduo é necessário adaptá-lo às suas particularidades.

FacebookTwitterGoogle+